Jovem, determinado e capaz.

Um vereador a serviço de São José do Rio Pardo.

Mafepi visita Escola do Campo Barreirinho ao lado do vice-prefeito eleito

O vereador Matheus Mafepi e o vice-prefeito eleito de São José do Rio Pardo, Reinaldo Milan, visitaram a Escola do Campo Barreirinho nesta semana. Ambos conversaram com professores, pais de alunos e também com as crianças, falaram sobre os planos do próximo governo rio-pardense para que sejam realizadas diversas melhorias relacionadas a infraestrutura e também para elevar o nível da qualidade de ensino na escola. “Para que possamos agir de maneira eficaz, temos que conhecer as pessoas e os problemas que elas enfrentam de perto. É exatamente isso que estamos fazendo para que as soluções dos problemas possam acontecer de maneira mais rápida e pontual”, falou o vereador Matheus Mafepi à redação do portal mafepi.com.br. Ao lado de Dr. Ernani, prefeito eleito do município, o vereador e Reinaldo Milan irão continuar trabalhando pelo desenvolvimento e pelo progresso de São José do Rio Pardo em todos os aspectos e setores.

15 views

Partido Verde assumirá diretoria de Meio Ambiente rio-pardense a partir de 2017

O vice-presidente municipal do Partido Verde, Samuel Folchetti, assumirá a Diretoria de Meio Ambiente de São José do Rio Pardo a partir de janeiro de 2017. Folchetti terá a missão de implementar, dentre outras ações, a divisão do Bem Estar Animal, que será direcionada ao cuidado com os animais e para onde devem ser levadas as atividades ligadas ao futuro canil municipal. O vereador e presidente do PV em São José do Rio Pardo, Matheus Mafepi, disse que a escolha de Samuel Folchetti para o cargo foi assertiva e estratégica. “Conhecemos a capacidade técnica e a força de vontade do Samuel. Ele será uma peça fundamental para a próxima administração municipal, pois irá contribuir de maneira bastante positiva com todas as questões que estiver envolvido”, disse Mafepi. Samuel Folchetti é engenheiro eletricista formado pela PUC Minas. Especialista em energias renováveis, gestão empresarial, gestão de qualidade e gestão ambiental, é também ativista ambiental desde sua adolescência e Diretor-presidente da PD Energy, uma startup rio-pardense que atua em todo Brasil no setor energético.

54 views

Mafepi prestigia festa de encerramento de ano em escola do campo

O vereador Matheus Mafepi participou no último sábado, ao lado do vice-prefeito eleito de São José do Rio Pardo, Reinaldo Milan, da festa de encerramento do ano letivo realizada pela escola do campo Santa Amélia. Ambos prestigiaram as atividades realizadas durante a celebração, e também ouviram de professores e pais de alunos um pouco das necessidades e melhorias que precisam ser feitas relacionadas à infraestrutura, manutenção e acesso ao local, que ocorre principalmente via estrada de terra. Mafepi e Milan providenciarão os serviços necessários assim que o novo prefeito eleito da cidade, Dr. Ernani, iniciar seu mandato, a partir de janeiro de 2017. “Sempre é muito importante acompanharmos de perto o andamento do trabalho e das atividades em geral da nossa cidade, e na zona rural isso não pode ser diferente. Temos muitos rio-pardenses vivendo no campo e eles podem contar com nossa atenção e dedicação durante todo período do mandato do nosso novo prefeito”, disse Mafepi.

7 views

‘Temos que ter cuidado com nossos animais de estimação’, orienta Mafepi

Ter um jardim bonito é um desejo de muitas pessoas. Todavia, quando se tem um cachorro em casa muitas dúvidas podem surgir a respeito de qual planta pode ser colocada sem preocupações. É bem verdade que existem algumas espécies que são tóxicas e que, por essa razão, ao serem ingeridas, podem interferir no sistema nervoso central e no digestivo. A preocupação dos tutores sobre esse tema é pertinente, isso poque existem certos fatores que influenciam o pet a mastigar as plantas que encontram. Entre estas razões, pode-se citar a curiosidade, tédio ou por estar na fase da vida em que adora morder tudo o que vê pela frente e explorar o ambiente, este período da fase do cachorro costuma ser quando ele ainda é um filhote.

Plantas e os sinais de intoxicação

Antúrio

Por conter oxalato de cálcio em todas as partes da planta, antúrio pode causar queimação nas mucosas, asfixia, edema na glote e inchaços na boca, garganta e lábios. Além destes sintomas, o cãozinho que provou desta planta pode apresentar salivação em excesso, vômito e diarreia. Todos estes fatores colocam em risco à vida do animal.

Copo de leite

Assim como o antúrio, o copo de leite também possui oxalato de cálcio. Por esta razão, ele acaba irritando as mucosas assim como a espécie anterior. Além disso, pode causar dores severas e contínuas nos animais que provaram de seu sabor. Copo de leite promove também edemas da glote desses bichinhos.

Espada de São Jorge

Os sinais que demonstram a ingestão dessa planta pelos animais são: dificuldade de movimentação e de respiração, irritação nas mucosas e salivação em excesso. Todos estes fatores surgem devido à presença de glicosídeos pregnâncios e saponinas esteroidais, duas substâncias altamente tóxicas para o organismo canino.

Lírio

Apesar da aparência delicada, o lírio é uma planta que possui todas as partes tóxicas para os animais. Ao ingeri-la, o cachorro pode apresentar incômodos e coceiras na pele, como também nas mucosas. Há como sintomas a presença de irritação oral e ocular, dificuldade para engolir, problemas na respiração e alterações nas funções renais e neurológicas.

Tomate verde

Tanto as folhas como os frutos desta planta são considerados altamente tóxicos para os cães. Isso porque, ambas as partes possuem alcaloide tomatina, provocando arritmias cardíacas, salivação intensa, diarreia, dificuldade de respirar e vômitos. Vale salientar, entretanto, que o tomate maduro possui ainda esta substância, mas ela torna-se inerte nesta fase.

Outras plantas tóxicas para o organismo canino:

Azaleia; Urtiga; Comigo ninguém pode; Bico-de-papagaio; Espirradeira; Aroeira; Mamona; Violeta; Avelós.

Fonte: clubeparacachorros.com

37 views

‘Razões para ter um cachorro não faltam’, diz Matheus Mafepi

Confira abaixo 20 bons motivos para você adotar um cãozinho!

1. ELES COMPREENDEM A DOR HUMANA

A Universidade Goldsmiths divulgou um estudo que mostra que cães estão mais propensos a se aproximarem de pessoas tristes ou que estão passando por algum sofrimento. Isso mostra que cães têm empatia por pessoas e querem ajudar aqueles que estão com dor.

2. ELES PODEM DETECTAR CÂNCER

Graças ao seu olfato aguçado, cães têm mostrado uma precisão de 70 a 99% (dependendo do estudo) quando são encarregados de detectar câncer de pulmão em pacientes por perto.

3. ELES SÃO CAPAZES DE REDUZIR O ESTRESSE DO TRABALHO

O Periódico Internacional de Gerenciamento de Saúde no Ambiente de Trabalho descobriu que pessoas que levam seus cães para o escritório têm menos estresse e são mais felizes com seus trabalhos — só porque o dog está por perto.

4. ALGUMAS RAÇAS PODEM PREVER CONVULSÕES

Estudos apontam que algumas raças de cães são capazes de avisar pacientes sobre ataques de convulsão futuro, às vezes horas antes de acontecer. Ainda não se sabe como esses cães fazem isso, ou porque apenas algumas raças têm esse dom. Por isso eles não podem ser treinados.

5. AJUDAM BEBÊS FICAREM SAUDÁVEIS POR ESTAREM SUJOS

Uma pesquisa recente mostrou que bebês que têm cachorros por perto são mais saudáveis do que aqueles que não têm. Os bebês que convivem com os amigões desde cedo têm menos tosse, coriza e infecções de ouvido. Os pesquisadores acreditam que o motivo está no fato dos cães brincarem na sujeira e na lama, aumentando assim o sistema imunológico da criança.

6. AJUDAM VOCÊ SE MANTER EM BOA FORMA FÍSICA

Um estudo da Universidade de Londres determinou que crianças com cachorro em casa são mais ativas e se exercitam mais vezes do que crianças sem cachorro. Afinal, também é muito mais divertido sair pra correr com seu cão do que sozinho.

7. DETECTAM BAIXO NÍVEL DE AÇÚCAR NO SANGUE

Se você achou que detectar câncer (item #2) era pouco, tem mais!

Com seu poderoso olfato, alguns cães também podem detectar baixo nível de açúcar no sangue do seu dono. Eles alertam a pessoa que o nível de açúcar caiu ou se um ataque diabético já aconteceu, eles latem e latem e latem até alguém ajudar.

8. AJUDAM A IDENTIFICAR ALIMENTOS ALERGÊNICOS

Quem tem alergia a determinados alimentos sabe que isso é coisa séria. Mas felizmente alguns cães também podem ajudar a evitar que você consuma alimentos que possam te fazer mal. Se você é alérgico a amendoim, seu cão pode ser treinado para te alertar se ele sentir algum cheiro de amendoim no ambiente.

9. AJUDAM VOCÊ A SER MAIS SOCIAL

O Periódico Britânico de Medicina concluiu que cães agem como catalisadores sociais, que ajudam pessoas a saírem de casa mais vezes, a abordarem desconhecidos facilmente e ainda reduzem a solidão.

Na verdade, isso é mais importante do que o companheirismo básico que os cachorros oferecem, pois o suporte a socialização humana é mais benéfica à saúde.

10. AJUDAM A SUPERAR TEPT

Apenas sendo eles mesmos, cães são capazes de ajudar a reduzir Transtorno de Estresse Pós-Traumático (TEPT) — principalmente com soldados. É o companheirismo dos cachorros que ajuda os diagnosticados com a doença a serem mais alegres e melhores socialmente.

11. AJUDAM A PREVENIR DERMATITE EM CRIANÇAS

Pode parecer contraditório, mas em alguns casos é saudável ter um cachorro por perto de crianças alérgicas. Estudos têm mostrado que crianças com menos de 1 ano que moram com cachorro por perto têm menos chances de desenvolver dermatite crônica.

12. CURAM FERIDAS SIMPLESMENTE LAMBENDO VOCÊ

É muito legal (ou não) quando seu cachorro te beija, mas isso na verdade pode trazer outros benefícios também. Pesquisas mostram que a saliva, tanto humana quanto canina, ajudam a estimular nervos e músculos melhorando a movimentação de oxigênio em algumas partes do corpo.

Adivinha? Isso é o ingrediente secreto para melhorar a cicatrização de feridas.

13. FAZEM COM QUE SEUS DONOS IDOSOS VÃO MENOS VEZES AO MÉDICO

Devido às vibrações positivas e os bons sentimentos que os cães carregam, mesmo nos piores momentos, pessoas mais velhas que têm cachorro em casa vão em média uma vez a menos ao médico por ano do que aquelas que não tem.

14. REDUZEM O RISCO DE PROBLEMAS CARDÍACOS

Estudos preliminares feitos pela Associação Americana de Coração estão revelando que donos de cães apresentam menor risco de doenças cardíacas do que aqueles que não tem o animal. As razões identificados estão relacionadas com os exercícios físicos que os donos fazem quando saem com seus cães e com a presença do animal em si, que ajuda o dono a lidar melhor com o estresse.

15. AUXILIAM NO COMBATE À DEPRESSÃO

Mais estudos apontam os benefícios ligados à presença de cães em casa. Dessa vez, os cachorros se mostram bons ajudantes no combate de depressão. Simplesmente por estarem por perto e agirem com afeto com seus donos, os cães dão razão para quem tem depressão seguir em frente na luta contra a doença.

16. AJUDAM A LIDAR COM O ESTRESSE DA SEMANA DE PROVAS

Todo mundo sabe como uma semana de provas, seja na faculdade ou na escola, pode ser estressante. Felizmente os cães estão aí para ajudar novamente. Quem brinca ou passa um tempo com cachorros entre os períodos de estudos costuma ficar mais calmo durante a semana e até conseguir melhores resultados.

17. CONFORTAM CRIANÇAS COM AUTISMO

Crianças autistas geralmente veem o mundo de uma maneira mais estressante que aqueles que não tem autismo conseguem entender. Felizmente, os cães conseguem. Pesquisas mostram que trazer um cão de terapia na casa de um autista ajuda a reduzir a quantidade do hormônio do estresse (cortisol) no corpo da criança. Isso não só ajuda a acalmar a criança como faz ela entender que tem um amigo.

18. AJUDAM A PREVENIR O BULLYING

Bullying é um grande problema, principalmente nas escolas. Felizmente, educadores estão experimentando programas que aproximam as crianças através de cachorros. A lição passada é que você não deve tratar mal as pessoas, porque você não trataria mal um cachorro.

As crianças conseguem enxergar a ligação e os resultados têm sido positivos.

19. AJUDAM PESSOAS COM FIBROMIALGIA SE SENTIREM MELHORES

A fibromialgia é uma doença que pode deixar sua vítima em constante dor. No entanto, a raça de cães Xolo parece ser uma boa saída para os pacientes lidarem com esse enorme problema. A temperatura do corpo desses cães pode ser usada como uma espécie de almofada de aquecimento terapêutico, devido ao fato de ser uma raça se pelos.

É claro que, ao contrário das almofadas, um Xolo vai ter um vínculo com você, te aconchegar e ainda te manter quente.

20. AJUDAM PESSOAS COM PROBLEMAS MENTAIS VIVEREM MELHOR

Cães têm mostrado que são grandes ajudantes de pessoas que sofrem de algum tipo de demência, pois eles são capazes de lembrar seus donos da hora de tomar remédio e quando ir ao médico. Ainda quando o dono passar por momentos de frustrações, o cão consegue confortá-lo com sua companhia de uma maneira que a pessoa entende que existe alguém que se importa com ele.

23 views

Mafepi aponta razões para adoção de cães adultos

Ao visitar um abrigo de cães, quase todos estão procurando filhotes. No entanto, adotar um cachorro adulto é garantia do porte do animal (um filhote sem raça definida pode atingir as proporções de um molossoide). Além disso, o cão adulto já tem a personalidade definida. Se não tiverem problemas de saúde, os cães continuam aprendendo durante toda a vida. Um cachorro adulto já pode conhecer muitos truques, além de saber onde fazer as suas necessidades fisiológicas. Filhotes da maioria das espécies quase sempre são apaixonantes. Eles são engraçados, vivem procurando novas aventuras. Entretanto, é preciso lembrar que, como todos os bebês, os filhotes exigem muito cuidado e atenção. Precisam ser treinados para aprender o que podem e o que não pode fazer. Precisam aprender a conviver com os humanos e respeitá-los.

Os adultos

Ao adotar um cachorro adulto, o novo dono já pôde conferir a maturidade, docilidade e outras características do animal, que pode ser manso, medroso, “grude”, gostar de brincar e passear. Com isso, é possível escolher as peculiaridades mais desejadas para o novo convívio. Dificilmente um animal adulto altera seu comportamento sem que exista um motivo objetivo. Para os “marinheiros de primeira viagem”, um cachorro adulto é a melhor opção. Os filhotes precisam de treinamento, muitos exercícios e, preferencialmente, de companhia constante. Além disso, até que aprendam os limites, muitos chinelos, cantos de móveis e tapetes já poderão estar danificados ou destruídos.

Ao escolher um cachorro adulto, é possível ter uma noção melhor de como se comporta o novo membro da família. Ao contrário, os filhotes são uma verdadeira caixinha de surpresas. O temperamento básico do animal já está delineado, mesmo que animais recolhidos a abrigos possam estar traumatizados pelas experiências que viveram enquanto estavam nas ruas. Muitos preconceitos rondam a adoção de um cachorro adulto. O principal deles é a crença sem fundamento de que eles não terão condições de se adaptar a um novo ambiente, a novas pessoas. Na verdade, os cães de qualquer idade têm muita facilidade de adaptação.

O amor

Muitas pessoas acreditam que um cachorro adulto não conseguirá se adaptar à família, à casa e à rotina doméstica. Ocorre, porém, exatamente o contrário: estes animais já internalizaram algumas regras, como fazer as necessidades no quintal, em uma folha de jornal ou durante o passeio diário. Outros imaginam que os filhotes, crescendo desde o desmame com os donos, demonstrará mais apego. No entanto, todos os cães, filhotes ou adultos, desenvolveram durante milênios a capacidade de amar os humanos. Eles são companheiros e fiéis, não importa a idade.

Ainda no quesito amor, um cachorro adulto, abandonado pelos antigos donos e recolhido pelo controle de zoonoses, tem pouco tempo para ter melhoradas as suas condições. Quando os animais são capturados pelas “carrocinhas”, têm uma espécie de prazo de validade. Caso não sejam adotados ou resgatados em determinado prazo (que varia de município para município), a solução oficial é o sacrifício ou a doação para serem usados como cobaias em pesquisas. Portanto, adotar um cachorro adulto é um gesto de amor, o impedimento de ao menos mais uma morte.

O processo da adoção de um cachorro adulto

Com a decisão de adotar um cachorro adulto tomada, é preciso tomar algumas providências. Os futuros donos devem fazer algumas visitas ao animal e, se possível, fazer alguns passeios pelas proximidades, para poder formar uma opinião mais exata da personalidade. Se houver crianças na casa, elas devem ser levadas ao abrigo, já que certos cães não se comportam bem com elas.

Com o novo cão em casa, muitos donos cometem um erro grave: na tentativa de compensar o sofrimento pela qual o animal passou durante o trauma na rua e no canil, a família passa a encher o cachorro de mimos, satisfazendo muitas vontades. Qualquer um gosta de ser mimado e agradado, mas os novos proprietários precisam entender que os cães devem conhecer rapidamente as normas da casa, os horários de alimentação e passeio (os animais gostam de uma rotina bem definida, que deve ser rapidamente estabelecida). O ideal, nos primeiros dias, é não interagir muito com o cachorro.

Ele precisa se aclimatar ao novo ambiente e, como adulto, ele já sabe onde pode e não pode entrar, por exemplo. Ofereça água e ração, uma caminha (ou um cobertor velho) para que ele possa descansar. É melhor que os primeiros contatos tenham a iniciativa do cachorro. A maioria dos animais disponíveis para adoção (inclusive gatos) já é entregue para a nova família esterilizados, vermifugados e com as vacinas básicas (em alguns pontos do país, é fornecida apenas a imunização contra a raiva). Mesmo assim, é importante que os cachorros passem por uma consulta com um veterinário logo que sejam introduzidos na nova casa, para uma avaliação do quadro geral de saúde e, assim, garantir um convívio agradável e adequado.

Os sinais de desobediência e agressividade não devem ser tolerados em nenhuma hipótese. Rosnados e avanços devem ser castigados com voz firme e, se for o caso, com a retirada do cachorro para outro ambiente. Alguns animais, ao se depararem com pessoas novas em suas vidas, costumam testar “quem manda no pedaço”. Um último motivo para adotar um cachorro adulto: nos canis, os criadores responsáveis fazem todo o possível para manter os filhotes em boas condições, para que se desenvolvam com saúde. Nas ruas, predomina a “lei da selva”. Sem alimento e expostos ao sol, ao frio e à chuva, apenas os mais fortes sobrevivem. Por isso, em geral, os animais de abrigos são mais resistentes a algumas doenças.

75 views